ovo
Grande elemento em nossa história, um verdadeiro marco na vida de qualquer um que já tentou desbravar os territórios da cozinha. O melhor amigo culinário do homem e eu nunca li uma homenagem a este que sempre será nosso primeiro pensamento e o nosso último refúgio, o ovo frito.

O ovo frito, vale ressaltar, é o nosso grito de independência. Os homens das cavernas tornavam-se homens quando podiam caçar e se alimentar. Com o desuso da caça, restou-nos tornamo-nos verdadeiramente homens quando nos alimentássemos sozinhos. E o ovo exerceu, todos esses anos, bem antes da invenção do miojo, o papel de primeiro alimento que nós mesmos preparamos. O ovo ratifica o homem.

Não somente por esse papel, o ovo dispensa frescuras e terecotecos para sua preparação. Apenas cumprindo sua missão de alimentar-nos, não se preocupa com temperatura e banho-maria, por isso foi tão importante em todas as guerras e situações periclitantes da humanidade. Ou vocês acham que Winston Churchill tinha tempo e paciência para aguardar um porco assado com canela ficar pronto?

Além de ser um salvador de vidas! Quantos de nós, ao nos depararmos com os bolsos vazios e a barriga na mesma, tivemos a brilhante ideia de fritar um ou dois ovos, acrescentar farofa e comer um manjar dos deuses? O ovo não tem preconceito, aos olhos dele, todos somos chefs.

Infelizmente, a agonia da sociedade em procurar e perseguir nossos algozes tornou-o um vilão. Banido da vida de muitos, em uma grande demonstração de ingratidão. Hoje só se pode comer partes do ovo e não em sua plenitude. Faz mal. Ora essa! Faz mal para os hereges! Para os falastrões que não entendem tamanha importância. Quantas vezes você acha que Napoleão Bonaparte pararia para separar o que ele iria comer do ovo?
Porém, mesmo contra todos esses pecadores que tanto insistem em demonizá-lo. Sempre haverá uma frigideira na mão de um batalhador, aquecendo a manteiga a espera do ovo. Sem se importar com banalidades, pois como os chefes de estados citados, também travamos as nossas guerras e contra a fome eis a nossa principal arma.