poker
Você já deve ter assistido poker em algum canal de TV, em algum momento da vida. E durante a exibição deve ter percebido que enquanto as cartas dos jogadores eram exibidas uma porcentagem aparecia ao lado delas. Não é um número mágico, é a matemática do poker dando as caras. E hoje vamos entender um pouco sobre como cada carta no board muda as porcentagens dos jogadores de vencerem as mãos. Mas ao invés de entender aquela porcentagem hoje vamos falar de uma outra, diferente, que fará diferença na hora em que você estiver jogando.

Vamos começar com algo simples: sabia que se um adversário aumentar das posições iniciais da mesa ele pode ter uma chance de até 61% de ele ter um A nas mãos? Porém, se vier um A no flop, nessas condições, as chances de ele realmente possuir esse A caem um pouco, para 53%? Calma, vou explicar o porque disso também.

Imagine que um jogador da sua mesa sempre aumenta nas posições iniciais quando tem AA-TT, AK e AQ. Com outras cartas ele jamais aumentaria dali. Lembre-se que a possibilidade de ele ter um AK ou AQ é maior. Temos então que a chance de ele ter essa combinação é de 38 em 62 vezes, 61% portanto.

A próxima conta é mais simples. Se um A vem logo no flop, a chance de ele ter esse A na mão deixa de existir, óbvio. Com isso, a combinação de cartas que ele poderia ter na mão também diminui. Veja bem, não confunda isso com a chance de ele vencer o pote, essa é uma outra conta. Se ele não tem esse A que apareceu no flop, ele passa a ter 27 combinações entre 51 possíveis, dando-lhe 53% de ter um A na mão.

Vamos melhorar e supor que apareceu um segundo A no flop. Qual será a chance dele ter um A agora? Caiu para 17 de 41, ou 41%. Certo, você deve realmente estar se perguntando de onde vêm todos os números aqui, não é? E, principalmente, como você mesmo pode calcular tudo isso. A boa notícia é que existem programas específicos para isso, como um que se chama PreFlopper.

A base da conta é simples: atribuindo um range específico de mãos para seu adversário, você é capaz de partir para uma parte mais lógica e usar cálculos para poder se situar na mão. Existem 1326 (52*51/2) combinações possíveis de mãos. Ao restringir esse leque para algumas cartas, você reduz o valor máximo de opções e consegue calcular melhor as suas chances. Se você chegar ao 38 das 62 possíveis, igualando o 61% das chances do exemplo, vai saber que ele está dentro desse leque possível. E sabendo disso, você pode descobrir em quantas dessas possibilidades você poderá vencê-lo ou será batido. Ele tem mais de 50% de chance de ter um A, que é a carta que te bate? Então você deve agir com cautela. Mas, por outro lado, se a chance dele ter esse A é de apenas 30% a matemática já está ao seu favor e não existe motivo para ficar chateado ao dar o call e perder, pois isso acontecerá menos vezes do que você ganhar dele.

Essa parte matemática é um pouco chata de entender, eu sei. As vezes parece tudo muito confuso e nada parece fazer sentido. O poker é divertido quando você joga sem pretensão mas entender mais a fundo pode te fazer ganhar mais vezes. Não tenha medo dos números, se você entendê-los uma vez eles se tornarão um fator “automático” no cérebro, com a possibilidade de você rever suas sessões depois de jogá-las e entender se está fazendo as melhores jogadas possíveis.

Estudar é chato mas você vai VENCER MAIS se fizer isso. E nos vemos semana que vem!