Se você ainda não viu, vai ver. Se já viu, vai entender perfeitamente essa introdução. Algumas vezes nos deparamos com amigos, colegas ou adversários no poker que se portam como loucos. Aumentam todas as mãos, fazem 3bets com regularidade, ganham diversos potes assustando os adversários e a palavra maníaco pode ser uma das melhores definições para o comportamento dele na mesa. O lado bom disso? Você pode jogar bem contra ele, pode vencê-lo e não precisará mais se lamentar sobre quão louco era o cara que quebrou seu par de A. Vamos pensar na forma prática de enfrentar esses oponentes, agora.

E em primeiro lugar está algo que pode não parecer correto: deixar ele se afundar em um pote contra você. Vamos supor que você tenha um JJ e é um dos primeiros a falar. Na blinda 50/100 você aumenta para 225 e o maníaco reaumenta para 550. Você apenas dá o call aqui, esperando ver o flop de maneira que possa se preparar para o que vier. O flop vem 972 com duas de paus e agora você pode agir de duas formas: tentar apostar por valor e esperar que ele faça uma 3bet novamente ou dar mesa para que ele continue apostando para que você possa pagar. Contra o maníaco, talvez a saída ideal seja esperar ele apostar para que você faça a 3bet aqui. A chance de você tirá-lo da mão com uma jogada dessa existe e, caso isso aconteça, você pode deixar de ganhar algumas fichas. Mas ao mesmo tempo, se você for constante e continuar sendo agressivo quando jogar em mãos contra ele, é possível que você consiga ir controlando um pouco as coisas.

como-jogar-poker
Parando um pouco, vou explicar melhor esse ponto: não é tão vantajoso você espantar seu adversário quando você tem uma mão decente e o flop traz uma textura tão complexa assim. Flush draw, conectores e cartas baixas estão definitivamente dentro do range de ação de um jogador desse estilo. A chance de você estar vencendo ele no flop é grande possuindo apenas um over pair mas é melhor que você deixe que ele pense que está no comando da ação, dando a chance de ele ir all in caso você faça o 3bet aqui, ao invés de apostar antes e tirar ele da mão. A questão aqui é entender que o range dele abraça cartas baixas e essa textura de board encaixa no que ele pode acertar, enquanto tudo isso não tira a sua chance de estar na frente. Dê a corda para que ele se enforque, nesse momento. Não importa se a ação que você está realizando é correta se ela for feita pelo motivo errado, você precisa entender bem o que está fazendo e se certificar de que é o momento exato para isso.

Dando sequência a mão, o turn traz uma dama de paus e essa carta acaba sendo muito ruim para sua mão. Ele pode ter completado o flush, pode ter agora um par maior que o seu ou pode continuar não tendo completado nada. Como nossos JJ não são de paus, isso não nos ajudou. E o problema maior é um só: se você sair liderando uma aposta agora, tem duas possibilidades, cuja principal é ele pensar que você realmente tem uma mão forte. Ele vai fugir nesse momento e deixaremos de ganhar ainda mais fichas num board tão complexo quanto esse, que nesse exemplo acaba até sendo aceitável. A outra hipótese é ele realmente ter formado um jogo e ter a certeza de que, embora você tenha uma mão forte, ele pode te bater aqui.
Até aqui, para simplificar, temos: o maníaco está numa mão contra você, ele te coloca numa mão forte, por pagar o 3bet dele no flop fora de posição, ele observa o flop e sabe que não foi algo mágico para você e o turn complicou um pouco as coisas, tanto para você quanto para ele, possivelmente. Uma aposta por valor aqui valeria a pena? Não será mais complexo se você der mesa e ele vier com essa aposta por valor?
Deixarei as perguntas no ar. Voltaremos a falar disso na semana que vem, quero saber como vocês encaram essa mão e o que fariam a respeito dessa Q de paus no turn.

justplay