blackjack-table

Já deve fazer alguns anos que o termo “hero call” existe. Mas nunca ele esteve tão em evidência quanto nos últimos meses. Se antes era fácil apostar e ver seus adversários que não tinham o ‘nuts’ fugirem hoje é mais complexo, pois essa tendência de dar um call em uma última aposta com mãos que não são favoritas já é uma realidade e também uma ferramenta utilizada por muitos jogadores. Falemos um pouco mais sobre isso e como você pode incorporar na sua gama de jogadas.

Primeiro vou exemplificar o termo, para facilitar um pouco mais a compreensão. Vamos supor que você esteja disputando um torneio, cuja blind esteja em 50/100. Você tem 5100 fichas no seu stack. Na sua mesa tem um adversário que está muito ativo, jogando muitas mãos e mostrando alguns blefes. Ele está em UTG e aumenta para 250 fichas. Você dá o call com 87 de copas. O flop vem A e K de copas e 8 de paus e agora você tem o terceiro par da mesa, além de um flush draw. Ele aposta 450, você paga. No turn e no river surgem dois 3, um de ouro e um de espadas, não mudando absolutamente nada. No turn ambos deram check e no river ele solta a bomba: “Aposto 700 fichas!”. Você paga, para ver que ele tinha Q4, e assim você puxa o pote. Você deu um hero call e ele era bom!

O conceito é simples: você só pode acertar um hero call se a aposta do seu adversário for um blefe. Qualquer mão que ele tenha que seja de valor pode bater o seu jogo, anulando completamente a sua intenção.

Um ponto do poker é conhecido: a medida que você joga sabendo quais as cartas nas mãos dos seus adversários você passa a ganhar mais fichas nos potes e deixa de perder fichas em mãos ruins. Uma vez eu li uma frase que sempre me faz pensar: “Se você soubesse qual era a mão do seu adversário durante a sua última disputa você teria feito exatamente o que fez ou faria algo diferente, como apostar mais ou fugir antes?”. A medida que você se esforça para tentar enxergar essa possibilidade, você vai conseguir ser mais efetivo no poker.

Portanto, você precisa se esforçar sempre mais um pouco em tentar colocar uma range de mãos para seus adversários. Analisar mais o jogo deles durante algumas mãos, entender quais tipos de jogada ele faz quando esta portando determinadas mãos, buscar colocá-lo em mãos cada vez mais específicas. A leitura é um dos fundamentos mais complexos e mais valorizados que existem no poker e você precisa treinar insistentemente.

Pode soar simples, tanto o exemplo como o conceito. Você paga uma aposta e ganha a mão, simples né? Mas enxergar com precisão a mão que seu adversário tem e ter alguma certeza de que você está na frente dele nem sempre é fácil. Mais fácil de fazer contra quem blefa demais, mais complicado de fazer com quem joga mais duro. Mas sempre louvável, pois te leva um passo adiante em busca da vitória.

Coloque seus adversários em ranges específicas. Essa é a lição dessa terça-feira e como cairá na prova é melhor que vocês tenham anotado isso. Nos vemos na próxima terça-feira, amigos. E bons hero calls para vocês!