poker

Imagine a seguinte situação: você está com KJ de ouros e aumenta para 3x o valor da blind. Seu oponente no big blind dá uma 3bet para 3x seu raise e você dá o call e faz isso porque imagina que a mão do seu oponente não seja forte o suficiente, uma situação comum no poker portanto. O pote está com 195 fichas nesse momento e você e seu adversário possuem 1400 fichas para trás. Esse call só se justifica de verdade se você acha que pode ir melhor que seu adversário após o flop, independente do que vier. Se ele tiver uma mão grande como AA, KK, AK ou algo assim você estará em apuros, provavelmente. Vamos adiante.

O flop veio 932, sendo o 9 e o 2 de ouros também. Seu adversário sai apostando 120 fichas. Você aumenta e faz tudo 350. Ao ver isso, seu oponente será espantado caso tenha uma mão pior que a sua provavelmente. E em algumas vezes, ele pode estar com uma mão melhor que a sua, com um A9, A3 ou algum flush draw baixo e vai acabar foldando também, provavelmente. Mas nesse momento é possível que você tome call somente de mãos melhores que a sua, incluindo algumas vezes as mãos que mencionamos que ele foldaria mas que ainda assim estão na sua frente. É importante saber disso, nesse momento.

Revisando, temos o seguinte: seu oponente te pagar com mãos melhores, seu oponente foldar com mãos piores ou possivelmente maiores, mas que poderia considerar fracas nesse momento.

Seu adversário aumenta mais uma vez, dessa vez para 790 fichas. E o problema agora é que você, embora tenha uma mão que pode se tornar algo maior, nesse momento provavelmente está perdendo. E dessa forma, você colocou mais fichas no flop do que deveria ter colocado. Talvez apenas esperar e pagar pelos aumentos do seu adversário tenha um efeito mais positivo numa mão como essa, tão especulativa. Talvez tentar criar um pote maior nesse momento não tenha sido uma decisão tão acertada. Conseguem entender o ponto? Se você coloca mais fichas do que deveria no pote você não está jogando da forma correta. Você tem que sim maximizar os ganhos, mas sempre com cautela até sabermos que podemos de fato vencer. E pela nossa revisão, estamos pouco otimistas em relação a estar com a melhor mão do jogo.

Você resolve voltar all in nele, achando que de repente ele teria fold ainda com 615 fichas na mão. O pote agora tem 2300 fichas. Será que vale a pena? É hora de parar mais uma vez e pensar. Se sabemos que ele provavelmente pode ter uma mão melhor que a nossa e ele reaumentou tanto no pré-flop quanto no pós-flop passa uma imagem clara de força. Ele poderia foldar pares maiores ou flush draws menores, talvez, mas com toda a certeza ele tem algo ali. Faz sentido pensar assim, concordam?

Ele dá call e apresenta KK. Ele realmente tinha um par maior e resolveu seguir adiante por aquele pote já tão suculento a esta altura. O 5 de ouro vem logo no turn para encerrar a mão. E dessa vez, você se dá bem.

O importante nesse momento é refletirmos um pouco. Os sinais de que ele tinha uma mão grande eram evidentes. Você provavelmente colocou um pouco mais de fichas do que deveria nesse ponte, ao invés de somente pagar as agressões de seu oponente. Você ganhou um pote enorme, mas fez isso de maneira equivocada. E o poker é assim, se você ganhar uma mão hoje jogando de maneira que não seja impecável da próxima vez você perderá. E seguirá perdendo no longo prazo.

Enviem mãos para analisarmos juntos, por aqui. Vamos pensar se as jogadas que vocês fizeram foram corretas do ponto de vista matemático e estratégico ou se você forçou um pouco mais a barra e acabou vencendo ainda assim, mas “com sorte”, como costumamos dizer. O poker é o tipo de atividade que precisa de aprimoramento diário e pensar em cada passo dado durante uma mão de poker é fundamental para a evolução. Nos vemos na semana que vem! :)