610-all-in-poker
Ok, pode até soar como auto-ajuda, mas eu preciso falar um pouco sobre como a sua mente pode ajudar você e te levar longe num torneio de poker. E vou usar como exemplo… sim, eu mesmo, que dias atrás resolvi fazer uma sessão de consegui uma boa premiação.

Ontem foi o final do Congresso Brasileiro de Poker, onde tive a oportunidade de conversar um pouco com o pessoal sobre redes sociais numa determinada palestra. Mas estou falando disso porque quem encerrou foi o Gabriel Goffi, um dos únicos jogadores do Brasil a ter desafio os grandes jogadores do planeta nos jogos mais caros da internet.

Eu comentei com ele, inclusive, que a palestra que ele deu foi a mais brilhante para mim em todo o congresso e ele falou basicamente sobre atitudes high stakes, que ajudam você a se preparar mentalmente para vencer seus desafios diários. Ele deu 7 dicas, mas vou ficar com uma que por acaso me fez bem umas semanas atrás.

Eu assisti um documentário chamado The Secret (tem no Netflix, caso tenham interesse) e ele fala basicamente sobre como manter um pensamento positivo pode atrair tudo aquilo que você deseja. E dizia também que era importante tentar sentir aquilo que você realmente sentiria quando conquistasse o que queria. Eu fiquei mentalizando fortemente, nos dias que seguiram, como eu me sentia feliz por ter ‘vencido’ um torneio de poker. Eu realmente sentia ondas de alegria e emoção ao pensar nisso. Todos os dias, ao acordar, eu sentia a alegria de ter vencido um torneio de poker.

Foi então que num determinado sábado eu decidi ficar em casa e também decidi que faria uma sessão de poker. Eu fiz um depósito de 20 dólares e comecei a jogar alguns torneios micro. Sobrando US$ 6,90, eu decidi que iria jogar um torneio de US$ 3,30 com rebuy. É, eu sei o quanto isso desrespeita as regras de gerenciamento de bankroll, mas eu tava confiante naquele momento e mesmo tendo caído de outros torneios eu senti que seria o certo a fazer ali.

Sim, eu já senti a vitória do torneio.

O torneio começou as 2h da manhã. Eram 6h da manhã e sobravam 32 jogadores, quando eu fui perceber. E pensei de um jeito incrível, que nunca tinha feito antes: “Tá, estamos em 32, agora vamos até a mesa final e ficar entre os 4 primeiros, que é onde a premiação me interessa. Não aceito menos que isso, ok? Ok”. O jogo seguiu, fui para a semi-final, fui para a mesa final e sobraram 3. Eu já estava contente, mas queria mais e apesar do cansaço (já eram 8h da manhã) eu fui além. Cheguei no HU e… o cara pediu um acordo. Dividímos de forma que eu, em segundo, ficaria com mais fichas do que a premiação original previa. E pude, enfim, sentir aquela sensação ensaiada por dias e dias antes dessa fatídica final.

Se você acreditar que não tem sorte na vida, você não terá sorte. Se você acreditar que não pode vencer no poker, você não vencerá no poker. Entrar pensando em quanto você pode perder naquele dia não te leva a vencer. Sentir que está vencendo te levará lá.

Ok, ficou uma coluna gigantesca. Mas é algo que eu precisava compartilhar com vocês antes de seguirmos em frente. E a premiação foi de US$ 470, que não mudou exatamente a minha vida mas que cobriu COMPLETAMENTE o que eu estava precisando naquela semana. Mágica? Sorte? Nunca saberemos.