Caro leitor, esse é um texto especial do CSI Testosterona. Recentemente, temos passado por poucas e boas nas mãos das redes sociais de Mark Zuckerberg. O Facebook apagou nossos posts e não nos deixa mais colocar links lá; o Instagram deletou nossa conta com mais de 150 mil seguidores, não deu satisfação e ficou por isso mesmo. E enquanto a gente achava que era uma implicância pessoal, vários relatos de parceiros começaram a chegar, todos na mesma situação.

Testosterona Girls não podiam mais divulgar os links de seus ensaios (ou seriam bloqueadas); fotógrafos tiveram suas contas ameaçadas por fotos que a tradicional família brasileira já aceitaria numa boa; atrizes pornô entrando na justiça por inúmeros perfis derrubados sem qualquer explicação. E aí a gente ficou full pistola e foi atrás de mais detalhes dessa temporada surreal que está sendo 2018 na história do Testosterona e dos nudes na internet.

A justificativa para a censura é sempre de que o perfil “contém nudez” e “viola os termos de uso e a política da rede social”. Mas a verdade é que muitos desses perfis não postam nudez ou o que poderia ser chamado de explícito – até porque a gente já está cansado de saber que nem mamilo passa no Instagram. E foi aí que toda a teoria começou.

Uma das maiores atrizes pornô brasileiras da atualidade, Mia Linz, encarou o preço e o desgaste de bater de frente com a equipe de Mark Zuckerberg depois de perder 16 contas (isso mesmo, dezesseis!) no Instagram.

Ela chegou a fazer um teste: passou semanas postando fotos imitando poses de atrizes pornô gringas e que aparentemente não tinham qualquer problema com seus perfis no Instagram.
As mesmas fotos, praticamente. E adivinha? Apenas Mia teve as fotos banidas.

Ela fez os prints comparativos e nos mandou:


 

Depois de ver seus 2,3 milhões de seguidores ir pelo ralo, ela processou o Facebook Brasil e perdeu a primeira etapa porque eles alegaram que a conta teria um link de redirecionamento na bio que encaminhava as pessoas ao Twitter pessoal da Mia, que contem imagens de nudez (porque ainda é liberado lá, graças a Deus). Ou seja, por uma divergência de política de redes sociais.

O que também, se você observar, as gringas conseguem colocar numa boa. Dá uma olhada:



É de matar, né?

Mia Linz ainda nos falou sobre o episódio que lhe causa tanta revolta: “Sabe por que tantas contas de atrizes e modelos internacionais conseguem chegar a números enormes de seguidores e, no Brasil, isso é raro? Porque além de muitas atrizes americanas terem liberdade de colocarem link para vender seu material ou divulgar seu Twitter em suas bios ou Instagram Stories, elas recebem o selo de verificação. Além de dar mais credibilidade àquele perfil, mostra também que aquela pessoa é uma figura diferenciada das outras.

Nas palavras do próprio Instagram, “um selo de autenticidade é uma marca que aparece ao lado do nome de uma conta do Instagram para indicar que a conta é a presença autêntica de uma figura pública notável, celebridade, marca global ou entidade que ela representa”.

Indignada, Mia desabafa: “Nunca na história do Instagram Brasil existiu uma atriz ou ator pornô em atividade com essa verificação! Isso mostra mais uma vez a desigualdade praticada pelo Instagram Brasil que parece querer varrer os profissionais brasileiros da sua plataforma e mostrar os seus profissionais americanos de país de primeiro mundo são os únicos que atendem aos critérios da rede”.

 

Ainda podemos levantar uma lista de Girls que tiveram seus perfis banidos sem qualquer aviso, chance ou justificativa mais convincente:

Bruninha Fitness, modelo, perdeu 10 contas e desistiu da rede social

Bruninha nos contou que perdeu um perfil com mais de 64 mil seguidores e criou uma do zero na sequência. Com quase 6 mil seguidores foi banida novamente. “Mas claramente é perseguição, porque na terceira tentativa eu postei uma foto de boné, não tinha nem o que denunciar, só tinha essa foto, e perdi a conta uma hora depois de ter criado”, conta.

Bruna Tuuyty, camgirl e modelo, perdeu 2 contas

Ela nos relatou como foi respondida quando conseguiu entrar em contato com o Instagram.

“É uma baita perseguição! Eu perdi uma com 60 mil seguidores no começo do ano e, recentemente, outra com 48 mil. Em nenhum momento eles deletaram alguma foto ou deram qualquer advertência de violação de diretrizes. Eles deletaram e quando eu tentei logar apareceu uma notificação avisando que eu tinha sido desconectada; e só depois, tentando conectar, recebi o aviso de que tinha violado diretrizes. Entrei em contato com eles por email dizendo que não achava justo, que não tinha cabimento. Eles até alegaram que eu estava usando identidade de outra pessoa, e isso não é verdade, eu uso pra divulgar meu trabalho. Eles me responderam finalizando a conversa, que não tinha jeito. A última palavra é a deles. Mas não é só número que a gente perde. Perdemos clientes, fãs, é nosso trabalho”.

Outras mulheres que perderam suas contas:

– Alessandra Maia, atriz e modelo, perdeu 7 contas 

– Amanda Souza, atriz, perdeu 5 contas

– Angel Lima, atriz, perdeu uma conta com mais de um milhão de seguidores

Mel Fire, atriz e modelo, perdeu uma conta (mas mantinha outras em paralelo).

Haub Girl, modelo, perdeu outra conta horas antes deste texto ir ao ar

– A Jeh, modelo e suicide girl perdeu a conta mais de uma vez e entrou com um processo contra o facebook, e está esperando a decisão final da justiça

– A Tabata Hisismit que também foi Testosterona Girl é mais uma modelo que perdeu sua conta com mais de 100 mil seguidores.

Ela nos mandou print de como a informação é enviada a ela:

 

Nós mesmos fizemos o teste por aqui. Denunciamos uma foto da famosa atriz pornô Mia Khalifa em um perfil de fãs. A imagem contém mamilos (!) 90% descobertos. Vejam a resposta que eles dão:

 

 

“Agradecemos por dispor de um momento para denunciar a foto. Embora tenhamos analisado a publicação que você detectou por nudez ou pornografia e detectado que ela não viola nossas Diretrizes de Comunidade, denúncias como a sua são uma contribuição importante para fazer do Instagram um lugar seguro e acolhedor para todos.”

 

OU SEJA, os conceitos de nudez, pornografia, seguro e acolhedor precisam ser redefinidos e, como dizem, alinhados com urgência. Dois pesos e duas medidas.


Sobre isso, só podemos dizer que seria muita sacanagem o Instagram e o Facebook estarem com uma perseguição descarada às atrizes pornô brasileiras, ou além disso, com as mulheres brasileiras, que trabalham tanto pra viver num segmento que por si já tem tantos preconceitos e barreiras. Modelos, atrizes, fotógrafos, produtoras, canais… Todos que trabalham na divulgação de entretenimento adulto, ou vivem de uma arte da qual acreditam, agora têm menos esse apoio. Mas vamos nos manter aqui firmes enquanto pudermos.

O que resta é convidar você a deixar seu follow aqui no nosso novo perfil enquanto ele ainda vive e também conhecer as brasileiras que são a nossa resistência.

Obs.: O Instagram não respondeu às nossas tentativas de contato, apenas respostas automáticas. 

*Edit 21/12

A Dread Hot que também perdeu sua conta algumas vezes, conseguiu reativá-la e conseguiu o desejado selo de verificação do Instagram. Foi a primeira modelo brasileiro que trabalha com conteúdo adulto a conseguir a verificação na plataforma.




Leia também