Home Porno Vintage Cicciolina – A musa pop do pornô

Cicciolina – A musa pop do pornô

Salve legionários, trago hoje em nossas fileiras a atriz porno “bella e brava ragazza” Cicciolina. Para os amantes do Porno Vintage.

Nos anos 80 e 90, ela foi presença constante na TV brasileira – fez, inclusive, participação na novela “Xica da Silva“, da extinta TV Manchete e “causou” ao mostrar os seios durante uma entrevista a José Luiz Datena na Copa de 1990.

Cicciolina

Mas, desde que despontou como modelo na década de 70, foi dos filmes pornôs que a gente mais se lembra. A italianinha de coração partiu dos filmes pornôs, dando um tapa na cara da sociedade hipócrita e católica da época ao chegar com os peitos balançando ao parlamento italiano.

Cicciolina é sinônimo de polêmica e sua marca registrada foi a de mostrar os seios em público junto a seu ursinho de pelúcia durante sua campanha política.

Seu nome de batismo é Elena Anna Staller, conhecida por Ilona Staller ou pelo nome artístico de Cicciolina, nascida em 26 de novembro de 1951, na cidade de Budapest. Hoje já é uma senhora de 68 anos, afastada dos filmes pornôs há pelo menos 15 anos.

A nossa loirinha, nem sempre foi blond, tinha cabelos escuros, fato que pouca gente sabe é que em 1968 fez parte do serviço secreto húngaro, e sua função era a de investigar estrangeiros no país.

Cicciolina

Após a morte de um político americano que estava sobre a sua investigação, decidiu por abandonar a vida de agente secreto. De um jeito ou de outro, sempre estava com o pezinho metido na política, um pouco após largar a sua vida de espiã se envolveu com um político italiano, tornando-se sua amante.

Do seu italiano, conseguiu um casamento no papel e a cidadania italiana, custo de muito sexo e dinheiro. Com a cidadania nas mãos, mais que rapidamente saiu de Budapeste indo aterrissar em Milão. Gostosa, a nossa blond foi convidada por uma produtora para atuar em filmes pornográficos.

Mesmo não recebendo um cachê muito bom, como era moça de bom coração (risos), aceitou o trabalho no ramo do entretenimento adulto aos 19 anos de idade, e para alegria geral da nação abriu de vez as pernas, não que já não tivesse feito isso antes.

A diva da pornografia

Cicciolina

Descoberta por Riccardo Sccicchi em 1973, a sua popularidade atingiria o seu auge na década de 70, ao ser convidada para apresentar um programa de temática sexual (é lógico) na rádio Luna, em Roma.

Foi neste programa que surgiu o seu pseudônimo de Cicciolina, que era o nome do seu personagem na rádio novela erótica na qual participava. Com o sucesso na rádio, Cicciolina passou a ser considerada a rainha da sexualidade na Itália.

Cicciolina

Logo foi convidada para a televisão, na emissora de TV Rai, para apresentar um programa na madrugada de sexta para sábado também sobre contos eróticos. Também atuou em diversos filmes convencionais e “normais” sem ter que transar com todo o elenco, coisa que para ela era um sacrifício (risos).

Gostava de ser a diva do pornô. Era uma forma de expressão livre do corpo e da sensualidade”, conta Cicciolina estrelou em vários filmes fazendo cenas de lesbianismo, sexo oral, anal, dupla penetração. Bate nos peitos e se orgulha de não ter feito sexo com animais (no sentido literário mesmo).

A intrépida “italianinha” era “pau pra toda obra”, acabou se enveredando na política filiando-se, no inicio da década de 80, ao Partido do Sol (o primeiro partido ambientalista da Itália) e em seguida ao Partido Radical.

Para divulgar suas propostas no campo político, ela abriu a produtora italiana de filmes pornográficos e primeira agência de casting pornô em parceria com Riccardo Schicchi, chamada Diva Futura, e tornou-se atriz de sua própria empresa, misturando sexo e ideias políticas nos enredos de seus filmes.

Da pornografia ao parlamento italiano

Em 1987 Cicciolina entra para a política pelo Partido Radical (hoje se chama Partido Radical Transnacional), cuja bandeira libertária e anticlerical coube perfeitamente no figurino da atriz e modelo.

Uma campanha que escandalizou os carolas italianos, com as tetas à mostra por todos os lados – era beijada e acariciada pelo público. Defendia a descriminalização das drogas, os direitos humanos, educação sexual nas escolas, direitos dos presos de terem sexo na prisão e a proteção aos animais.

Após mostrar os seus seios por quase toda a Itália (resfriado pra ela passava longe), Cicciolina foi eleita em 1987 para o parlamento italiano, sendo a segunda deputada mais votada.  Lutou contra a OTAN, energia nuclear, a fome e a censura.

Lutou pelos impostos ambientalistas sob a emissão de CO2 dos automóveis, pela liberdade sexual, legalização da prostituição, direitos humanos e dos animais, e educação sexual nas escolas.

Em 1991, fundou o Partido do Amor e em 2012 o Partido DNA (Democracia, Natureza e Amor). Em 2013 se filiou ao Partido Liberal Italiano.

A loirinha é multifacetada, além de apresentadora de rádio, atriz convencional e pornô, política, Cicciolina também é escritora e conseguiu reconhecimento no campo literário com os livros “Confessions” e “Per Amore e Per Forza”. Também foi cantora, com contrato assinado pela gravadora RCA.

“Made in Heaven” – o paraíso cor-de-rosa de Jeff Koons e Cicciolina

Imagine o fim dos anos 1980/começo dos 1990. Além de um aperto financeiro global, o mundo via com terror nos olhos a ameaça da AIDS tornando-se uma epidemia e levando muita gente de arrasto. Aí, bem nessa época, um artista vem e tira o sexo de baixo da mesa, colocando-o em galerias de arte e museus de um jeito gritante (em painéis de 2m de altura).

Precisa de (no mínimo) bastante coragem. Pois Jeff Koons, artista norte-americano, fez mais ou menos isso com sua série Made in Heaven (1989), com a ajuda de sua então companheira Ilona Staler, a Cicciolina.

‘Made in Heaven’ misturava pintura e escultura e, num estilo meio kitsch, figuravam o artista e sua musa em todo tipo de posição sexual, sem economizar sêmen, com vários títulos dignos de Kama Sutra, como ‘Ilona por cima’, ‘Jeff comendo Ilona’ e ‘Cadelinha vermelha’. Koons declarou, ainda, que os dois, naquele momento, eram “os novos Adão e Eva“.

A exposição foi um sucesso de público, mas escandalizou muita gente do mundo da arte, mesmo o artista sendo considerado um ‘novo Andy Warhol’, o ‘Mapplethorpe do seu tempo’. Koons e Cicciolina foram casados por algum tempo, mas o término não demorou a vir e foi meio traumático, envolvendo brigas judiciais pelo filho do casal.

Não há como negar, há atrizes e atores pornôs que marcaram uma geração, seja pela sua vida conturbada ou pelos filmes que marcaram época, goste ou não Cicciolina foi uma dessas pessoas.

Não vou avaliar a sua capacidade política, mesmo porque ela não conseguiu ser reeleita em 2013 ao parlamento. Vamos falar da foda, e uma peculiaridade que vi em boa parte dos filmes que assisti com ela (não todos porque foram muitos), é que não fica completamente nua, sempre tem uma lingerie, luvas, algo cobrindo partes do seu corpo ou uma tiara de flores em sua cabeça.

Cicciolina Porno

No Pornhub, Cicciolina possui 6 milhões de visualizações. No Xvideos, ela ultrapassa 68 milhões de visualizações.

Links e Redes Sociais

Um pouco mais de Cicciolina

Mais posts pra você

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você esteja bem com isso, mas você pode optar por não participar, se desejar. Aceito Leia Mais