Home Porno Vintage Wendy O. Williams, a dominatrix rainha do Shock Rock

Wendy O. Williams, a dominatrix rainha do Shock Rock

Hoje falar sobre a Wendy O. Williams, pois acho ela extremante exótica, agressiva e pornográfica, um amigo, o Kisha, havia me dado essa dica e gostei muito!

Wendy fazia parte da banda Plasmatics, que sintetizou punk e metal.  Eles estavam tão a frente do seu tempo de tantas maneiras que é difícil saber por onde começar.

Wendy O. Williams

Algumas bandas com mulheres tentaram chamar atenção como Wendy chamou, mas nenhuma mulher chegou perto da sexualidade agressiva, destrutividade alegre, violência e a arte provocativa de Wendy.

Tudo começou com o artista, produtor e promotor Rod Swenson. Foi quando ele contratou Wendy O. Williams, de 27 anos, como dominatrix de seu teatro experimental, para show de sexo ao vivo “Captain Kink’s Theatre” em Nova York em 1976.

Wendy saiu de casa muito cedo, com 16 anos, trabalhou com artesanato, culinária, em uma série de empregos como salva-vidas, stripper, dançarina de topless e atendente do Dunkin ‘Donuts.

O surgimento do Plasmatics

Wendy O. Williams

Swenson também estava fazendo vídeos para jovens bandas punk de Nova York como The Ramones, Dead Boys e The Patti Smith Group. Ele decidiu formar sua própria banda de punk-metal, The Plasmatics, um ano depois e recrutou Wendy, então sua namorada, para liderá-la. Com uma formação inicial de Richie Stotts na guitarra, Chosei Funahara no baixo e Stu Deutsch na bateria, o The Plasmatics estreou no CBGB’s em 1978. Wes Beech logo foi adicionado na guitarra e o único membro da banda, exceto Wendy.

Os shows de música e palco do Plasmatics se tornaram famosos, levando muitas pessoas  a esperar na fila por horas para assisti-los no CBGB, e tiveram grande surpresa. As canções de Plasmatics eram voltadas ao sexo, violência, e sempre indo contra a sociedade.

Punk e Metal

Sua fusão de punk e metal, comum duas décadas depois, complementou perfeitamente os vocais estridentes, gritos e rosnados de Wendy e sua personalidade selvagem no palco. Com aquele  moicano loiro e exuberante, maquiagem esfumaçada para os olhos, corpo magro e bronzeado vestido em couro preto apertado e com poucas peças .

O ato de Wendy envolvia motosserras para desmembrar guitarras e erguer marretas para esmagar aparelhos de televisão. Quando podia, Wendy acrescentava carros esmagadores e detonadores (especialmente Cadillacs, triste mas excitante) no palco.

Sexualmente provocadora, Wendy simulou  sexo e masturbação no palco, o que acabou a levando à prisão por obscenidade e indecência pública em Milwaukee e Cleveland.

Após essas acusações, Wendy passou a usar pedaços de fitas nos seios, isso tornou sua marca registrada. Ela dominava seus espaços de atuação como uma stripper sedutora, dominadora  e agressiva ao mesmo tempo.

Assinado pela primeira vez à Stiff Records no Reino Unido, o The Plasmatics gravou cinco álbuns de estúdio (New Hope for the Wretched, Beyond the Valley of 1984, Coup d’Etat, Electric Lady Land Sessions e Maggots: The Record) e três EPs (Meet the Plasmática, Açougueiro, Sacerdotisa de Metal).

Embora não sejam grandes vendedores, esses lançamentos, particularmente o New Hope, foram extremamente influentes, e o The Plasmatics ganhou atenção popular de fontes inesperadas: o programa de comédia noturno da ABC Fridays, o programa de entrevistas de Tom Snyder Tomorrow, um ponto de abertura em uma turnê do KISS de 1982 e a SCTV , pelo qual The Plasmatics fez uma participação especial no desenho “Fishin ‘Musicians”.

Wendy gravou três álbuns “solo” (WOW, Kommander de Kaos e Deffest! And Baddest!), Usando membros do Plasmatics, mas não nomeando os álbuns por razões legais, e três EPs colaborativos com Lemmy Kilmister do Motörhead (Iron Fist, Stand By)

“Ela foi ótima, eu costumava transar com ela. Embora às vezes você deva dizer que ela me fodeu. Ela era louca por exercícios, músculos como corda de aço. ”

 Lemmy Kilmister, Lemmy: The Movie

No Class with Motörhead

“Basicamente, eu odeio conformidade. Eu odeio pessoas me dizendo o que fazer. Isso me faz querer esmagar as coisas. Os chamados padrões de comportamento normal me deixam tão entediado que eu poderia vomitar! ”

 Wendy O. Williams

Aqui um dos clips da banda, eis que é bem pornográfico ….

Wendy O’ Williams – I Love Sex (and Rock and Roll) (1984)

Em 06/04/1998 Wendy O. Williams é encontrada morta próxima de sua residência aos 48 anos de idade. O inquérito que apurou as causas constatou que a vocalista do Plasmatics suicidou-se com um tiro na nuca em uma área arborizada próxima à sua casa.

  • Curiosidade: Sem relação com sua personalidade sexual e seu assunto chocante, ela tinha uma queda por animais, tanto que foi pioneira em direitos dos animais, vegetarianismo e preocupações ecológicas
COMENTE JÁ

Mais posts pra você