Nome: Cleo Baby
Idade: 27 anos
Cidade: São Paulo
Twitter: @cleobaby4 / @cleobabyD4
Instagram: @cleobaby_oficial

O Testosterona tem feito uma série de novos posts e entrevistas com sexworkers, mulheres que trabalham como atriz pornô, camgirls, acompanhantes e demais profissões que de certa forma estão ligadas a erotismo e pornografia.

Nós batemos uma papo com a acompanhante Cleo Baby, e a seguir você conhece um pouco mais sobre essa morena maravilhosa.

Cleo Baby

Há quanto tempo você trabalha como acompanhante e porque você decidiu entrar neste ramo?

Aproximadamente 3 anos já, nossa passa rápido!

Como é o seu dia a dia e rotina de trabalho?

Cleo Baby: Eu costumo acordar cedo, por voltas das 6 ou 7 da manhã. Como se eu fosse “bater o meu ponto”, em alguma empresa. Tomo meu café e vou para o meu “escritório” em casa, uma área que separei que parece mesmo uma sala administrativa, com quadro de planejamento financeiro e semanal. Sou bem organizada, e gosto de exercitar isso.

Preparo minhas postagens para as minhas mídias, pois 80% da minha agenda eu consigo através do meu próprio marketing. Dentre elas está o Twitter, Instagram e sites de acompanhantes. Depois sigo para o WhatsApp onde eu tiro as dúvidas, de quem me abordou e ficou esperando meu retorno por lá. Costumo marcar sempre o mais antecipado possível, mas nem sempre sai como eu realmente gosto e as vezes acabo encaixando alguém no mesmo dia.

Se eu tenho um encontro marcado, eu me dedico horas antes para me arrumar totalmente focada para aquela pessoa que vou me encontrar.
Desde o cabelo, a calcinha, a roupa mais discretas ou um brinquedinho surpresa… etc. Acho que sou uma das poucas acompanhantes que não tem flat em são Paulo.

Cleo Baby

E como é sua vida fora do trabalho?

Cleo Baby: A garota por de trás de quem me apresento nas redes sociais, é mais tímida, evito redes sociais. Gosto muito de exercícios ao ar livre. Sou bem dona de casa, sou engajada em trabalhos voluntários em específico duas uma ONG de animais outra de idosos.

Estudo aos sábados, ano passado estava cursando faculdade e tranquei.
Sou reservada e bem família, apesar da distância que tenho com a minha que mora no RJ.

O que você gosta de fazer nas horas vagas?

Gosto muito de ficar em casa, tomar vinho e ver séries, músicas.
Sou muito caseira. E nesse período de quarentena até que não foi tão difícil.

Cleo Baby acompanhantes

Cleo Baby, o que mudou na sua vida depois que você se tornou acompanhante?

Eu amadureci muito, financeiramente é algo muito atrativo. Sem dúvidas mudas a nossa vida da água para o vinho. Portanto, afirmo em dizer que tudo depende da forma como se administra.

Eu vim para São Paulo com uma mochila de poucas roupas de um brechó e 700,00 reais, aluguei um hotel no largo do Arouche para dormir e comecei trabalhar fazendo um anúncio num site. No segundo dia indo fazer atendimentos em hotéis e motéis eu tinha dobrado o valor que cheguei no meu bolso.

Desde então, nunca mais tive que morar de favor na casa de ninguém e nem me preocupar se teria dinheiro para comprar algo decente para vestir.
Se ganha muito dinheiro, e se perde na mesma rapidez também.
Você precisa ser bem resolvida, e ter equilíbrio tanto mental quanto espiritual para se manter focada sem se deslumbrar muito tanto com o dinheiro quanto com as pessoas que você troca energia.

Você imaginou que tudo isso aconteceria?

Cleo Baby: Nunca imaginei ser acompanhante de luxo na capital paulistana. Fiquei conhecida, mais no Twitter depois que comecei a publicar contos eróticos, relatando alguns encontros. Comecei por necessidades financeira, e com o tempo me descobri sexualmente na profissão.

Conheci melhor, meu corpo, como gosto de ser tocada, como gosto de ser tratada, como devo me cuidar por dentro e por fora. Aprendi a me amar mais, me respeitar mais como mulher, e quando eu digo “se respeitar mais” não significa nada com a profissão que escolhi atuar… entre outras coisas.

acompanhante Cleo Baby

Cleo Baby, você lida com muito preconceito por trabalhar como garota de programa?

No meu caso, o preconceito partiu primeiro de mim mesma e acho que ele foi o maior desafio para me tornar quem eu sou hoje. Na profissão são poucos, mas já passei sim. Não absorvo esse tipo de coisas e entendo, que faz parte.

Qual foi a coisa mais legal que aconteceu depois que você virou a Cleo Baby?

Fico um pouco envergonhada de falar isso, mais acho que foi ter finalmente um guarda roupa, risos! Hoje eu tenho o meu apartamento, dois gatos e um closet. Antes eu guardava minhas roupas em uma caixa de papelão.

Eu pagava um aluguel e trabalhava 12 horas por dia, e acredite… eu tinha um dia de folga no mês. Acho que é por isso que eu gosto tanto de ficar em casa, e não uso do meu apartamento para marcar encontros. Sempre optei por atender em hotéis, motéis e residência com portaria 24hs.

Cleo Baby

E você já passou por algum apuro?

Cleo Baby: Sim, acho que toda garota passa. Principalmente quando somos novatas no ramo. Eu sofri o famoso golpe do envelope vazio, com comprovante falso.
O cliente marcar e não aparecer, simplesmente sumir me fazendo perder tempo e dinheiro. Hoje em dia, com mais experiência consigo filtrar melhor e não sofrer tanto com esses golpes ou apuros.

E qual foi a coisa mais estranha que algum cliente já te pediu?

Cleo Baby: Tenho muitas histórias, engraçadas e estranhas. Mas resumindo aqui, eu sempre deixo claro que não gosto muito de fetichismo e com isso ajuda a filtrar bastante quem chega até mim. Me lembro de uma vez, um rapaz pedir para eu me sentar ao lado dele na cama. De roupa mesmo.
Ele apenas queria que eu gritasse igual a atriz pornô na tv, enquanto ele se tocava. Sai rouca neste dia, de tanto que gritei “ai meu cu!” sem na realidade nada acontecer. Eu queria rir na hora, mas jamais faltaria com respeito e não era nada desrespeitoso da parte do cliente, de fato só engraçado e estranho.

Cleo Baby acompanhante

Você passou a encarar as fantasias sexuais dos homens de forma diferente?

Cleo Baby: Fantasiar alimenta o nosso desejo e no sexo aumenta o tesão.
Aliás, todos nós temos fantasias. Tem homens com fantasias simples:
mulher de vestido sem calcinha, lingerie específica, ménage. Até gosto de alguns!

O que você aprendeu sobre os homens depois que se tornou acompanhante?

São a grande maioria muito carentes, românticos e alguns se saem ótimos contando mentiras em casa ou até mesmo achando que vai me impressionar no encontro. Muitos homens só querem atenção, serem ouvidos e a simples busca do desejo e prazer na cama, com uma garota mais nova ou diferente da realidade que ele vive.

Cleo Baby, você consegue ter uma vida “normal” depois que entrou neste ramo?

De certa forma sim, mas confesso que me relacionar amorosamente é algo mais difícil na profissão até pelo medo e preconceito que envolve na cabeça do homem que ali se envolve. Nem sempre ele está preparado psicologicamente para engatar um romance e saber separar a minha profissão.

Seus clientes são apenas homens?

Cleo Baby: Não. Nunca sai com uma mulher sozinha, mas fico com “esposas” de clientes e amigas do ramo em ménage.

O que seus clientes buscam? Apenas sexo ou tem conversa também?

Na maioria das vezes, buscam sair da rotina estressante em que vivem, no trabalho ou em casa. Buscam se sentir mais jovens e livres, às vezes. E nem sempre um encontro se resume a sexo.

Uma garota com algo a acrescentar além do ato sexual, é uma pessoa que realmente aquele homem vai estar disposto a pagar para estar junto, quantas vezes ambos quiserem. Muitos dos meus bons clientes, me convidam para lugares bonitos, elegantes como o Palácio Tangará, Hotel Unique, Lush Motel para tomar um vinho e depois aproveitar o hotel.
Esse clima gentil e de cordialidade do encontro, sempre leva para uma boa química na cama depois.

Que lhes dão o direito de ter de mim, a namoradinha ou a devassa que ele busca ter naquele encontro, naquele momento em específico.
Depois, no fim cada um segue a sua vida, eles voltam para a vida real com esposa, os filhos, trabalho ou faculdade. E eu com a minha descrição e colecionando mais uma certeza de um bom encontro.

Qual o perfil dos homens que procuram a Cleo Baby?

A maioria, comprometidos. Homens mais velhos e bem resolvidos financeiramente já.

Você já conhecia o Testosterona?

Cleo Baby: Sim, conheço bem antes de me tornar acompanhante, risos!
Adoro o blog. Sou suspeita para falar que adoro o espaço, para contos os eróticos. Sei que a maior parte dos conteúdos são direcionados para o público masculino mais acho interessante mesclar com curiosidades, sobre música, filmes e séries também.

Por onde as pessoas podem entrar em contato com você?

Cleo Baby: Eu tenho uma plataforma que contém já toda uma apresentação de mídias sociais que possuo. Nesta mesma plataforma eu apresento meu WhatsApp, meu blog onde posto os meus contos eróticos e realizo a venda de conteúdos de vídeos e fotos explícitos. Vou deixar aqui o link, para olharem com calma e quem sabe marcarmos um possível encontro!

Clique aqui pra conhecer melhor a Cleo Baby



Share this...
Tweet about this on Twitter
Twitter