A gente sabe que com saúde não se brinca e quando o assunto é câncer todo cuidado é pouco. O câncer de testículo representa 5% do total de casos de câncer entre os homens, ele (ainda bem!) é facilmente curado quando detectado no começo e tem baixo índice de mortalidade. Vamos te passar um guia completo para saber tudo que é preciso sobre a doença e ter todos os cuidados para ficar longe dela.

 

Pra ficar de olho

Um dos principais sintomas do câncer de testículo é o aparecimento de um nódulo duro, que geralmente não causa dor, mas é perceptível através do tato. Mas além disso, é importante ficar de olho em outras características, como o aumento ou a diminuição no tamanho dos testículos, nódulos ou endurecimentos, dor na parte baixa do abdômen, sangue na urina e aumento ou sensibilidade dos mamilos. Observou tudo isso? Não entre em desespero, é necessário procurar um médico urologista para saber o seu diagnóstico correto.

 

Diagnóstico de câncer de testículo

Se você foi em um médio especializado e já está diagnosticado com câncer de testículo, não se desespere. O diagnóstico é simples e na maioria dos casos é detectado no estágio inicial da doença, sendo sempre mais fácil descobrir através do exame físico. Mas se por um lado é de fácil diagnóstico e alto índice de cura, também pode ser considerado um tipo agressivo, com alto índice de duplicação das células tumorais (que causam rápida evolução da doença). Ou seja, esteja sempre atento aos sinais.

Causas

O desenvolvimento do câncer de testículo tem a ver na maioria dos casos com o histórico familiar. Ou seja, se alguém da sua família já foi diagnosticado com a doença, é bom ficar de olhos abertos.  Além disso, pode ter relação com lesões e traumas na bolsa escrotal e a criptorquidia (quando o testículo não desce para a bolsa escrotal). Não há como evitar a doença, então vale de vez em quando o autoexame dos testículos, de preferência mensalmente.

 

Tratamento

O primeiro passo do tratamento para o paciente com câncer de testículo é realizar a biópsia, onde retiram um pedaço para ser examinado e assim comprovar se há mesmo ou não células cancerígenas. Em caso positivo para câncer, o testículo é extraído. Mesmo sem um dos testículos, a função sexual ou reprodutiva do paciente não é afetada, desde que o outro esteja saudável. Em alguns casos é necessário o tratamento radioterápico, quimioterápico ou através de controle clínico.

Lembre-se de sempre consultar um urologista caso sinta alguns dos sintomas e faça o autoexame mensalmente. 



Compartilhe
Share on Facebook
Facebook
Tweet about this on Twitter
Twitter

Leia também