Nome: Vitória Schwarzelühr (Dread Hot)
Idade: 27 anos
Cidade: São Paulo
Twitter: @dreadhott
Instagram: @dreadhot

A Dread Hot é uma atriz porno brasileira em plena ascensão. No auge dos seus 27 anos, ela já tem a sua própria produtora, a Fever Films. Nós conversamos com ela sobre a sua carreira e sobre a pornografia de modo geral. Confira a seguir

Dread Hot

Dread Hot

Dread, primeiramente, obrigado por participar do Testosterona

Dread Hot: Obrigado vocês por me convidarem mais uma vez, eu amo muito o trabalho do Testosterona.

Há quanto tempo você trabalha com conteúdo adulto?

Dread Hot: Eu comecei em outubro de 2016, então já tem quase 4 anos. Comecei como camgirl no Camera Prive.

O que você gosta de fazer nas horas vagas?

Dread Hot: Nas horas vagas eu gosto de assistir séries, atualmente estou viciada em assistir anime, gosto muito de ouvir música, fumar umzinho e eu amo viajar. Meu sonho é pegar um Van, transformar numa casa e sair viajando pelo mundo.

Dread Hot

Quando você começou com o pornô, você imaginou que atingiria todo esse sucesso que você conquistou?

Dread Hot: Eu não imaginei que ia atingir toda essa galera, tanto que no começo dos meus vídeos eu produzia só o que eu conhecia até então.

Então no começo suas referências eram completamente diferentes né?

Dread Hot: Exato, e eu achei que ia mostrar o corpo pra fazer uma grana, mas depois que criei o meu canal eu percebi que poderia fazer muito mais do que isso. Quando eu descobri um pornô que não era aquilo que eu estava fazendo no começo, eu passei a me descobrir e ser outra mulher desde então.

De que forma o pornô pode ser diferente?

Dread Hot: O pornô pode ser algo político, algo social, ou até mesmo alguma coisa que ensine as pessoas a se conhecerem e se sentirem melhor, que foi o que aconteceu comigo.

Frequentemente vemos a Dread Hot na mídia, como é pra você essa experiência de se tornar referência quando o assunto é pornografia no Brasil?

Dread Hot: É muito gratificante pra mim ser uma das referências quando o assunto é porno brasileiro. Porque até então o que eu tinha de referência de porno era algo que eu na verdade não me identificava. Depois de conhecer os trabalhos do Érika Lust eu vi que poderia fazer algo pra fazer a diferença.

A experiência é maravilhosa, é incrível, fico muito realizada e só tenho a agradecer, porque fico com a impressão de que estou fazendo a coisa certa.

Você tem ideia de quantas produções já participou até hoje?

Dread Hot: Gravei algo entre 15 e 20 pra Sexy Hot e pro Xplastic, tem mais uns 9 que foram pra Erica Lust, mais uns 25 com a Fever Films.

Inicialmente você fazia cenas só com o Alemão, e agora vocês estão gravando com mais pessoas, como foi essa transição?

Dread Hot: Eu comecei a fazer cenas com mulheres na webcam, e claro, rolou uma conversa antes, e como qualquer relacionamento nós temos um acordo de parceria e de vida. Nós sempre conversamos muito sobre nossas vontades, sobre o que desejamos pra nossa carreira.

Então vocês foram aos poucos desenvolvendo isso?

Dread Hot: Isso, cada um foi trabalhando seus limites ao longo do tempo, foi um passinho de cada vez. Hoje o Alemão está gravando com outras atrizes, porque nós vimos que havia essa necessidade, e ele também queria fazer.

Dread Hot

E como você se sentiu?

Dread Hot: Essa era uma luta interna minha, essa história de mulher precisar competir com outra mulher, ser possessiva, e que na verdade é puro machismo. Foi uma construção no dia a dia, nós dois juntos. Nós hoje temos uma relação super madura, e pra mim é tudo muito tranquilo.

O Alemão também tem as questões dele, que também são relacionadas ao machismo, mas é um passo de cada vez. Antes da quarentena eu ia fazer um filme com o Alemão e mais um ator, o Mario que trabalha com a gente na Fever. Mas o coronavírus chegou e atrapalhou os planos de todo mundo, mas vai rolar!

Qual ator pornô favorito da Dread Hot?

Dread Hot: Pra ser sincera eu não tenho um ator favorito além do Alemão, meu amor! Risos!

E atriz porno favorita, você tem?

Eu gosto muito da Kali Sudhra, que faz filmes com a Erica Lust, e da Vex Ashley.

Dread Hot atriz porno

Que tipos de cena você mais gosta de gravar?

Dread Hot: Eu gosto muito de gravar ménage, eu acho que fica bonito em cena. Por exemplo, uma orgia fica legal, mas tem muita coisa acontecendo ao mesmo tempo, já o ménage fica ótimo em cena e eu gosto muito de fazer.

Apesar de trabalhar com pornô, você gosta de assistir pornografia?

Dread Hot: Eu assisto, mas é raro, é mais pra estudo mesmo. Eu não me masturbo frequentemente, mas quando rola é com algum vídeo da Erica Lust ou da Vextape, que são duas produtoras que eu gosto bastante. Além disso, vejo alguma coisa no Pornhub também, mas naquela pegada de porno amador.

Quais canais do Pornhub você assiste?

Dread Hot: Gosto do vídeos do casal Leolulu, gosto de ver coisas mais naturais. Também gosto muito do canal My Sweet Apple.

Tem algum sonho que você ainda deseja realizar?

Dread Hot: Eu ainda quero viajar fazendo pornô em todos lugares do mundo, mas em todos lugares do mundo mesmo. Risos! Mesmo que seja só uma cidadezinha, eu tenho que gravar nem que seja uma siririca, um boquetinho. Risos!

Aliás, você tem algum fetiche? Pode contar pra gente??

De fetiche eu curto asfixia, é um enforcamentozinho na hora de gozar, mas nada demais, só uma pressionadinha do pescoço, eu sou bem de boa, as pessoas acham que as atrizes pornô tem os fetiches mais bizarros do mundo, mas não, eu sou mais tranquila.

Dread Hot, como é a relação com os seus fãs?

Dread Hot: Minha relação com meus fãs é bem saudável Eu to criando uma base de fãs muito legal de mulheres, que é algo que eu não tinha no começo da minha carreira, e pra mim isso é muito mais legal.

É um público mais difícil de atingir né?

Dread Hot: Sim! homem é simples, basta você ser mulher e ter um conteúdo legal que ele vai curtir, agora com as mulheres você tem que batalhar mais, não é só o lado sexual.

Você tem muitos haters?

Dread Hot: Ah, tenho alguns sim, mas quem não tem né? Óbvio que tem alguns comentários que machucam né, mas é algo que passa. Tudo na vida passa.

Uma pergunta que veio dos nossos leitores, o que deixa a Dread Hot excitada?

Dread Hot: O que me deixa mais excitada é o toque. Sabe quando passa a unha na pele de leve, de forma superficial? Mesmo que eu não esteja pensando em sexo na hora, isso já me excita! É toque e respiração no cangote, putz! Risos!!!

Dread Hot

Que dicas você daria pra uma garota que está pensando em entrar para a pornografia?

A primeira dica é pesquisar bastante, olhar os perfis de outras atrizes, entender quem você quer ser, que imagem você quer passar. Pensa que é um negócio que você vai montar, um negócio de marketing pessoal, afinal é a sua imagem. Então faça um planejamento, nem que seja um rascunho no papel mesmo. Além disso, aproveite esse tempo pesquisando pra ver se é isso que realmente você quer, porque uma vez que esteja na internet, vai estar pra sempre ali.

Dread Hot, estamos chegando ao fim da nossa entrevista, mas antes eu quero saber o que você mais gosta no Testosterona?

Dread Hot: Eu curto muito o Testosterona porque ele enfoca um movimento que é de certa forma é marginalizado. Todo mundo faz sexo, todo mundo assiste pornô, as pessoas têm suas atrizes e seus atores favoritos, mas ninguém fala sobre isso. O Testosterona mostra isso pras pessoas e fala que tá tudo bem, acho que com o seu “jeitinho Testosterona de ser” vocês conseguem quebrar uns tabus.

Dread Hot Links

Dread Hot, obrigado pelo ótimo papo, deixe um recado pros nossos leitores

Dread Hot: Meu recadinho é pras pessoas começarem a pensar que todas as merdas que existem dentro do pornô querendo ou não refletem o tipo de consumo que você tem. Se você der visualização pra pessoas e pra produtoras que vocês não conhece, e que podem ou não ser pessoas/produtoras abusivas, você está ajudando essa produtora a se alimentar e a se fortificar.

Consumir de forma consciente é a melhor forma de você ajudar e valorizar as pessoas que trabalham na indústria. Trabalho sexual é um trabalho, não é diversão pra quem tá produzindo. Então, consumir esse material de forma consciente é uma forma de melhorar o mundo.

Algumas pessoas e também as feministas falam que é preciso proibir o pornô, mas pra mim isso é muita ignorância, porque com a proibição surge o pornô clandestino, assim como acontece com as drogas. O proibicionismo nunca levou a nada. Você pode consumir pornôs éticos, é só ir atrás pra saber se você tá batendo punheta pra algo bom ou algo ruim.

Dread Hot Vídeos



Share this...
Tweet about this on Twitter
Twitter