Home Sexo O que é BDSM? Nós explicamos tudo pra você!

O que é BDSM? Nós explicamos tudo pra você!

Você provavelmente já deve ter ouvido falar na sigla BDSM. Famosa por estar em filmes, livros e sites pornos, a prática sexual ganha cada dia mais adeptos pelo mundo inteiro. Mas se você que significa fazer sexo algemado ou levar e dar uns tapas durante a transa, está muito enganado. Vamos te explicar o que é ser praticante de BSDM. Ententa o significado de termos como rigger, brat, dominatrix, bondage, spanking e muito mais!

Tudo o que você precisa saber sobre BDSM

BDSM

Significado de BDSM

Primeiramente, vamos desmembrar essa sigla para entender o que a expressão quer dizer. Bondage, Disciplina, Dominação, Submissão, Sadismo e Masoquismo, são as palavras que guiam o BDSM. Muitos outros termos como brat e switch fazem parte deste amplo universo.

  • Bondage é a prática mais conhecida desse fetiche, de amarrar o parceiro. Existem várias técnicas e cada uma com objetivo diferente, podendo ser com cordas, correntes, algemas.
  • Disciplina, claro, está relacionada ao ato de disciplinar. Normalmente essa prática é feita através de tapas ou espancamentos, mas também pode ser feita impedindo a pessoa de, por exemplo, comer a comida favorita ou assistir televisão.
  • Dominação e submissão nada mais é do que quando uma uma pessoa se submete a outra. É o caso de alguém que permite que outra pessoa o amarre, humilhe, espanque e mande fazer coisas, por objetivos que podem ser ou não só sexuais.
  • Sadismo dentro do BDSM é bem diferente do que todos conhecem por aí. Não tem nada a ver com atos cruéis, que envolvam crimes ou algo relacionado, na verdade, são pessoas que gostam de um tipo de sexo seguro e consentido onde podem causar dor em seus parceiros.
  • Masoquismo é o contrário do sadismo, e a pessoa gosta de sentir dor, assim ela tem prazer.

Dominador x submisso

É comum no BDSM que na relação haja sempre um dominador e um submisso. Vale lembrar que isso não tem nada a ver com o gênero masculino ou feminino, e sim com a preferência sexual de cada pessoa. Na prática, o o submisso deve sempre obedecer o que o dominador diz, mas não é porque você gosta de ser submisso às vezes que tem que sempre ser. Muitas pessoas gostam de ambos os lados e são chamados de “switches”.

Palavra de segurança

Com tanta coisa nova e diferente, é sempre importante garantir a sua integridade e a do seu parceiro. Tudo que falamos acima deve ser feito com o consentimento de ambas as partes. E mesmo que muita coisa seja aceita dentro do BDSM, ter um sinal que coloca limites na hora do sexo é extremamente necessária. Essa é a função da palavra de segurança. Para que isso funcione antes de começar a brincadeira, os dois devem estabelecer uma palavra que se em qualquer momento sentir muita dor, não quiser mais ou estiver incomodado é só dizer que o outro já sabe é hora de parar – independente de estar como submisso ou dominador no momento.

Fetiches BDSM

Em suma, o fetiche é parte de você, e pode ser algo que você goste e ainda nem saiba.

Estranho para alguns, absolutamente normal pra outros, cada gosto o ou preferência é algo muito particular de cada pessoa.

E os fetiches podem ser os mais variados, como o clássico sexo a três, praticar sexo em lugares públicos, homens que sentem prazer em mulheres de salto alto, ou mulheres que fantasiam com homens de uniformes – as opções são infinitas!

Dentre todas essas práticas, uma que pouco se fala e muito se tem curiosidade,  sem dúvida é o BDSM.

O que é BDSM?

Se você buscar na Wikipédia, a sigla é um acrônimo para Bondage e Disciplina, Dominação e Submissão, Sadismo e Masoquismo.

O intuito do BDSM é trazer prazer através da troca erótica de poder, que pode ou não envolver dor, submissão, tortura psicológica e outras práticas, que são previamente combinadas entre os participantes, para que ambos consigam atingir as sensações que procuram.

No universo do BDSM, você ainda encontra diferentes práticas:

Sadismo:  é a busca em sentir prazer ao impor sofrimento físico e moral a outra pessoa.

Masoquismo: na contramão do sadismo, é justamente o prazer em receber sofrimento físico e moral de outra pessoa.

Bondage: é um tipo de fetiche onde a principal fonte de prazer consiste em amarrar e imobilizar o seu parceiro, com objetos como cordas, algemas, mordaças e vendas.

BDSM

BDSM

Todos estes fetiches estão ligados às preferências de cada pessoa, e à relação que elas estabelecem com os parceiros, ou seja, dominação e submissão. Além de brat e switch.

Dentro da relação Dominador(a)/submisso(a), o sadismo, o masoquismo e mesmo o sexo podem existir, não sendo necessariamente os ingredientes principais da relação,  sendo muito comum que essa relação seja meio confusa no início, mas é importante que o submisso atenda o dominador sempre.

Apelidos como DOM para homens e DOMMES para mulheres são bastante comuns no meio, assim como Sub para a parte submissa.

Com a palavra, uma dominadora profissional BDSM

Mel Fire BDSM

Nós conversamos com a Mel Fire, que é dominadora profissional pra tentar entender mais sobre o universo da dominação e submissão.

Ela, que também é camgirl, descobriu sua vocação pra dominadora enquanto se exibia para seus clientes na internet, e recebia ali muitos pedidos com os mais diferentes fetiches. “Quando estava fora do país, festas temáticas e locais voltados às práticas são comuns.

Fui a eventos, fiz alguns ensaios fotográficos com o tema e comecei a aprender com uma dominadora famosa de Londres”.

Perguntamos a ela quais eram os fetiches mais comuns: “Sem dúvidas, a podolatria (adoração de pés) é a prática mais comum.

Quase todos os atendimentos que eu faço possuem algum grau de podolatria, seguido de spanking e humilhação verbal“..

Mel comentou também sobre os pedidos mais estranhos que já recebeu: “Já tive pessoas com o fetiche por hipnose, sono, remédios, e pessoas que sentem tesão em ter a mãe xingada”.

Rotina de trabalho / BDSM

Seguimos a conversa e perguntamos como era a sua rotina de trabalho: “Normalmente eu preparo tudo com antecedência, pois já conversei com o cliente e sei quais práticas ele quer. Cada prática requer um acessório, então frequentemente ando com uma mala com cordas, algemas, chicotes, botas, sandálias, roupas de látex, e coisas do tipo. Atendo em um local totalmente voltado à arte, uma masmorra”.

Perguntamos se o filme 50 Tons de Cinza ajudou a difundir o BDSM de alguma forma, pra ela o filme é  água com açúcar perto da realidade, que as pessoas viram o tema de uma forma muito mais romantizada, mas que de certa forma ajudou algumas pessoas a se encontrarem.

Pra finalizar, peguntamos a Mel o que ela acha que um homem busca quando faz uma sessão de dominação com ela: “Na maioria das vezes, o homem  busca uma liberdade de expressão que não tem (ou acha que não terá) com sua companheira.

O medo das pessoas o julgarem, do casamento acabar, de ser tido como estranho, anormal”.

BDSM

TERMOS USADOS EM PRÁTICAS SEXUAIS | BDSM

Asfixia

Asfixia Play ou Asfixia Erótica em BDSM é um jogo de controle de respiração considerado extremo (Edge Play) que intencionalmente priva a outra pessoa de receber oxigênio através das práticas de enforcamento, compressão torácica, sacolas plásticas, capuz e produtos químicos. Também há prática de auto enforcamento.

Ball Busting

Ball Busting é o nome da prática de tortura do escroto(saco) aplicando golpes, chutes, tapas e pisadas. Algumas pessoas sentem fetiches em ser pisados com determinados sapatos, saltos, ou somente os pés.

Bondage

Em tradução ao pé da letra significa escravidão, mas Bondage em BDSM é a pratica de restrição de sentidos ou de orgasmo, ou imobilização do corpo, que são feitas com cordas, vendas, mordaças, algemas e gaiolas, durante a prática pode envolver outras práticas juntas de acordo com o gosto pessoal dos participantes.

Bondassage

Bondassage é um tipo de massagem junto com Bondage, é uma experiência sensorial, com restrição de movimentos e sentidos, nela são usados vários elementos fetichistas e acessórios de BDSM. A palavra “brat” é de língua inglesa e significa “fedelho ou pirralho(a)”.

Brat

Brats (brat) é uma gíria americana e significa “pestes”, porém o significado literal é simplesmente “pirralho”. Sendo assim, é como se fosse uma forma de irritar alguém superior a você e também tem um sentido sexual. Uma espécie de fetiche dentro do BDSM. Brat é um tipo de comportamento petulante e é onde a pessoa tida como submissa, provoca o outro. Vale lembrar que as provocações podem ser de vários tipos e não há qualquer tipo de limite. Brat é um dos termos relacionados mais procurados no google. Brat é um tipo de bottom focado na Disciplina. Não são submissos pois não sentem prazer em se submeter. Seu prazer consiste em provocar o Top de diversas formas, de acordo com sua personalidade, bem como impor resistência durante as sessões, mas sempre mantendo o respeito à limites do parceiro. Essa provocação já é algo esperado pelo Top, pois faz parte do jogo de disciplina, e este, então, reage à provocação “castigando o bottom” (praticando então o sadomasoquismo e/ou bondage). Brat significado:

A dinâmica que entra com um maior foco na disciplina T/b. E o tipo de bottom que provoca apenas para apanhar mais.

Tamer’s são as pessoas que vão “domar” o/a brat (pirralho/a).

Na dinâmica entre Tamer e brat o/a brat vai provocar, cutucar, aprontar para chamar a atenção do/a Tamer e assim a pessoa que faz o papel de Tamer tentará “disciplinar” seu/sua brat.

Apesar da dinâmica se passar com provocações não é algo em 100% do tempo(até porque tem uma hora que ou um lado fica de saco cheio ou sem ideias né?) e mesmo assim para ambos os lados tem o respeito aos momentos, já que não é qualquer lugar e a qualquer momento que isso pode acontecer.

No entanto diferente dinâmica Tamer brat os/as SAM (smart ass masochist) são masoquistas que por vezes se enfiam em relações D/s (Dominação/submissão) mas na verdade o que querem mesmo é apanhar e estes provocam de diversas formas apenas para alcançar isso.

Creampie

Creampie (torta de creme) é um fetiche em ejacular na vagina ou no ânus e ficar vendo essa ejaculação escorrer, várias pessoas possuem esse fetiche que pode envolver tanto um pênis quanto vibradores ejaculadores. Algumas vezes esse fetiche é associado a outros como o Felching que é a sucção da ejaculação de dentro da vagina ou ânus pela própria pessoa que ejaculou ou por outra pessoa que pode ser o Culckolder (o corno) que fica vendo sua mulher tendo relação sexual com outro homem em um jogo de sadomasoquismo.

Cuckold

Cuckold em BDSM ou no contexto de Fetiche é o homem que gosta de ver sua mulhere, ou a pessoa que possui compromisso sério ficando com outros homens. A prática em geral é feita em conjunto pelo casal, os dois escolhem juntos os parceiros, como será o encontro, onde será entre outros detalhes. Ele pode estar no lugar junto com ela ou só pedir para ela trazer vídeos e fotos para que ele possa ver.

Cuckqueen

Cuckqueen em BDSM ou no contexto de Fetiche é a mulher que gosta de ver seu marido, ou a pessoa que possui compromisso sério ficando com outras mulheres. A prática geralmente é feita em conjunto pelo casal, os dois escolhem juntos as parceiras, como será o encontro, onde será entre outros detalhes. Ela pode estar no lugar junto com ele ou só pedir para ele trazer vídeos e fotos para que ele possa ver.

Chuva Marrom

Chuva Marrom é o nome da prática da pessoa evacuar em cima da outra pessoa a fim de satisfazer o prazer das duas. Geralmente as pessoas que tem fetiche gostam de sentir a textura e também se esfregam nas fezes e alguns indivíduos chegam até a comer as fezes da outra pessoa.

Dominatrix BDSM

Dominatrix é a mulher que na cena assume controle e domínio sobre o outro participante o (sub) de forma profissional, nem todas as sessões podem envolver relações sexuais, há pessoas que não o fazem, mas esse é um acordo feito entre os participante, há quem prefira só dominar e não tenha relação sexual.

Edge Play

Edge Play são práticas ou jogos extremos, ou que tem alto risco envolvido na prática, como jogos de asfixia, jogos com fogo, agulhas e também níveis extremos de outras práticas, embora isso seja difícil de definir.

Exibicionismo

O Exibicionismo é o fetiche que a pessoa tem em ser observada no ato sexual, é excitante para pessoa ser vista no ato sexual, masturbação ou tirando a roupa diretamente, ela gosta de se mostrar e ser vista.

Face Fuck

Face Fuck é o termo para o fetiche de humilhação durante o sexo oral no PÊNIS, então o dominador decide quanto penetrar e a velocidade da “metida”. É um fetiche bastante comum e bem popular nos sites de pornografia.

Fisting

Fisting é prática de penetração com mão/braço no ânus ou/e vagina, é uma prática mais intensa, mas muito comum. Às vezes todos precisam de uma mãozinha, não é mesmo.

Femdom

Femdom é o nome dado a dominação feita por mulheres, onde a mulher é a dominadora e pode ser ou a Domme, Dominadora, Dominatrix, Mistress Madame. Há alguns tipos de dominação que são feitas geralmente por mulheres como Pegging, Facesiting, Cock Torture e a pessoa pode colocar a sessão dela em cima desses fetiches.

Gag Ball

Gag Ball é um tipo de mordaça usada nas práticas de BDSM para impedir que o usuário fale. O uso só é indicado para pessoas experientes, já que impede uma forma de comunicação, ou por parceiros que são entrosados e quem conhece bem o limite da outra pessoa. Existem diferentes modelos, cores e materiais.

Golden Shower

Golden Shower é o termo em inglês para a prática de urinar na pessoa com a intenção de alcançar prazer sexual, embora exista um termo em português que é Chuva Dourada, é mais usual o termo em inglês, principalmente depois um chefe do executivo de um país o deixar bem notório, se ele usa, vamos usar também e ficar na moda. O ato de urinar na pessoa pode ser bem instigante pela relação de Dominação/Submissão, algumas pessoas gostam de tomar a urina também, ou só “tomar banho” com ela, se esfregar na urina.

Hotwife

HotWife em BDSM é o nome dado a mulher que sai com outros homens com consentimento do parceiro, é a parceira/esposa do Cuckold.

brat rigger bdsm

Kink

Kink é um termo usado para se referir práticas sexuais fora do convencional diferente do BDSM que é só para práticas e jogos de dominação, bondage, sadismo e masoquismo a palavra Kink é para fetiches e qualquer outra prática que não se enquadre dentro do BDSM, mas não é algo tão comum.

Masoquismo

Masoquismo é um tipo de fetiche que se obtém satisfação, prazer e excitação sexual em sentir dor física ou mental. É o M da Sigla BDSM e pode se encaixar nas práticas de humilhação, spanking, açoites, etc.

Palavra de Segurança no BDSM

Palavra de Segurança em BDSM é uma palavra pré acordada pelos participantes para interromper imediatamente a prática, hoje é mais comum as palavras serem cores do semáforo, pois além de conhecidas universalmente elas podem ser usadas durante toda a sessão. Verde quer dizer que está tudo bem e que o submisso está curtindo e pode indicar para ser um pouco mais ou mais forte. Amarelo quer dizer que aquilo dizer que a pessoa está perto do limite, mas ainda não causa desconforto extremo, mas é bom diminuir ou dar uma pausa e verificar o estado da pessoa. Vermelho é o sinal máximo de alerta e que o Top deve parar imediatamente a prática.

Podolatria

Podolatria ou Podofilia é o fetiche de quem tem atração por pés, essa atração pode ser por formato do pé, cheiro/chulé, adornos, sapatos. Essas pessoas sentem excitação por ver ou tocar essa parte do corpo. Algumas práticas como masturbação ou FootJob são comuns, ela é parecida como uma masturbação com as mãos, mas feitas com pé, há ainda submissos que gostam de ser pisados, sapatos usados, varia de pessoa para pessoa, não é porque a pessoa tem essa atração que ela irá fazer todos os itens citados.

Rigger | Rigger BDSM

Rigger em BDSM é como é chamado a pessoa dominante que usa corda como ferramenta de dominação. Para essa pessoa a dominação vem acompanhada de um visão artística onde as amarras são uma composição e tão importante quanto prender é fazer uma obra de arte. Rigger é um dos termos mais procurados no google nos dias de hoje.

Sadismo

Sadismo é considerada uma parafilia onde o indivíduo sente prazer em causar dor física ou mental e humilhação em outra pessoa. É comum ocorrer sadismo em diversas práticas do BDSM, mas em todas elas são feitas por pessoas que se dispões a isso, e com práticas acordas previamente.

Scat Play

Scat Play é uma prática erótica envolvendo fezes, o indivíduo sente prazer em sentir, cheirar, se esfregar nas fezes e as vezes até em comer. As pessoas podem se sentir atraídas em olhar outra pessoa evacuando em cima dela, gostar dela mais fresca por causa da temperatura que ela sai.

Shibari

Shibari é uma técnica usada para amarrar com cordas, a diferença dessa técnica para outras além da estética é que geralmente os shibaristas podem dominar alguma técnica de shiatsu e usam isso para pressionar lugares específicos do corpo como zonas erógenas, quem curte essa técnica deve fazer curso para aprender lugares seguros do corpo, aprender sinais que algo está errado e não simplesmente sair amarrando alguém com qualquer corda de qualquer maneira.

Slave

Slave dentro do BDSM é a pessoa que abre mão de sua autonomia para pertencer a um dono. Deve seguir regras e estar disponível para obedecer, deve pedir permissão para fazer qualquer coisa e está suscetível a castigos físicos e psicológico caso desobedeça seu dono.

Spanking

Spanking ou Surra em BDSM é prática de palmadas com a mão bem aberta, ou com outros acessórios que são chibatas, palmatórias, chicotes, raquetes entre outros na bunda, ela é usada como “punição” por dominadores.

Switch

Switch em BDSM é a pessoa que gosta de ser dominado e submisso dependendo do dia ou do humor, não assume uma única posição e pode caminhar pelas duas em diferentes relacionamentos. Switcher – Do inglês, aquele que troca. Refere-se à pessoa que gosta tanto de exercer o papel de dominador quanto o que submisso. por isso: switch.

Tickling

Tickling é o fetiche em fazer cócegas com uma forma de “tortura”, geralmente a pessoa que está recebendo está amarrada ou contida de alguma forma, como qualquer prática de BDSM deve manter a segurança e usar a Safe Word.

Trampling

Trampling é prática de andar sobre o corpo do submisso, prática mais comum de serem feitas por mulheres dominadoras, pode ser feito descalço, com meias ou sapatos. As pessoas que sentem fetiche em serem pisoteadas pela dor, submissão e a vezes é uma extensão do fetiche por pés ou podolátras.

Voyeurismo

Voyeurismo é o fetiche de observar pessoas, principalmente no ato sexual, mas também se vestindo ou despindo. Isso é muito comum inclusive em outros animais, mas também tem o lado da parafilia disso que é quando essa pessoa gosta de observar essas pessoas sem que essas saibam que estão sendo observada e isso é crime.

ENTREVISTA | Do que as mulheres gostam no BDSM?

Pra tentarmos entendermos o outro lado da moeda, conversamos com duas mulheres que gostam de ser dominadas, a carioca Juliana, e a mineira Fernanda. Fizemos algumas perguntas pra elas:

O que mais te atrai em ser dominada / BDSM ?

Juliana: Acredito que toda a atmosfera que envolve o lance da dominação. É sexy, é quente… É o olho no olho, ambos com tesão, quem manda e quem obedece, num jogo onde ninguém sai perdendo.

Fernanda: O que mais me atrai é a submissão em si, a entrega e todo o contexto. Não tem muito mistério.

É uma prática frequente ou algo que você gosta pra sair da rotina?

Juliana: Depende do parceiro. Eu não sou uma sub. Sou uma mulher que gosta de algumas práticas de BDSM, switch e brat por exemplo.

Já tive namorado mais careta, que não gostava de me bater, por exemplo. Como já tive namorado que gostava de transmitir a transa, ou de me exibir na internet enquanto eu me masturbava.

Fernanda: Não é uma prática frequente, é pra sair da rotina, ou quando bate a vontade mesmo. Até porque os envolvidos tem que ter uma sintonia, o que nao é sempre que acontece.

Como você descobriu que gostava de BDSM e ser dominada, você é switch??

Juliana: Acho que a maioria das mulheres gostam dessa submissão. Eu também adoro mandar mas, sei obedecer muito bem! Sim, sou switch

Tenho meus momentos de tomar o controle, de obedecer e de “ser mal criada” pra receber o castigo. Isso são coisas que você vai aprendendo e entendendo com o tempo, e assim descobrindo o que gosta ou não.

Quando a gente começa na vida sexual, a gente quer “pau dentro”, depois a gente vai prezando a qualidade e o prazer no ato como um todo.

Fernanda: Descobri na prática mesmo, ou seja: vai rolando e você vai percebendo que você gosta.

Qual seu maior fetiche?

Juliana:  Não tenho nada específico. Vai de acordo com o clima, o parceiro. Eu, particularmente, curto apanhar, mordidas, ser amarrada, velas. Sou switch

Fernanda: Eu não tenho um grande fetiche, mas deve ser algum role play, ou algo assim.

Mas por que brat não é submisso?

Simples, um ser que desobedece e provoca sempre que vê oportunidade pode ter alguma essência submissa?! Submissos são focados em Dominação e submissão (D/s), brats em Disciplina (D). Logo, não devemos nomear como sendo submisso quem não está nem aí para a submissão. No entanto? Brat NÃO é um Bottom que desrespeite seu Top, que faça coisas fora dos limites deste, que ponha em perigo uma cena com elementos arriscados (velas, fogo, agulhas, facas, etc.) nem alguém que na relação vá abusar de seu parceiro minando sua paciência.

E os tais submissos rebeldes? São brats?

Não! Muitos Dominadores chamam de “brat subs”, até de forma pejorativa, mas são Submissos que, por algum motivo, se rebelaram contra seus tops, passaram a agir de forma não esperada e/ou quebraram a hierarquia. “Submissos rebeldes” normalmente teriam prazer em submissão. Se o motivo for puramente pirraça ou algum “teste”, estes Subs aprontam com seus Tops mas logo se arrependem retornando ao seu comportamento normal, sendo a rebeldia um estado momentâneo, passageiro. Um brat, em contrapartida, provoca e sente prazer em ter provocado. É parte do seu prazer e de sua maneira de proceder em cena. Seja brat ou não, divirta-se!

Em outros casos, trata-se de reação normal de revolta e/ou imposição de limites, quando o Top gera algum tipo de insatisfação por falhar em dialogar na relação, desrespeitar seus limites, fomentar ciúme e/ou receios com irmãos ou irmãs de coleira, ter má conduta dentro do meio BDSM, ameaçar ou praticar o abandono do bottom, desrespeitar seus sentimentos e/ou objetivo do relacionamento, etc. — o que, nesse caso não é rebeldia, mas um protesto coerente.

bdsm rigger brat
  • Instagram – Siga o Testosterona no Instagram

POSTS EM DESTAQUE NO TESTOSTERONA ALÉM DE BDSM

MAIS POSTS SOBRE SEXO E FETICHES:

BDSM | Bondage | Punheta Guiada | Fisting | Sadomasoquismo | Golden Shower | Creampie | Spanking | Exibicionismo | Voyeurismo | Cuckold | SexoNosso Canal no Telegram

COMENTE JÁ

Mais posts pra você