Home Site Porno Kink – A melhor e maior produtora BDSM do mundo

Kink – A melhor e maior produtora BDSM do mundo

A Kink é uma premiadíssima empresa pornográfica que administra uma série de sites fetichistas. Com segurança e responsabilidade, tornou as práticas de dominação e submissão legais perante a lei americana.

VEJA TAMBÉM:

E o que significa Kink???

Significa “perversidade” e se refere às práticas sexuais não convencionais. Em português se traduz como “torção”. O termo vem do inglês e é uma forma de definir comportamentos fetichistas e sexualmente não normativos. 

Quem é o fundador???

O visionário Peter Acworth é o mestre fundador da Kink. Em 1997 ele era apenas um jovem britânico que cursava seu doutorado em finanças na Columbia University, Estados Unidos. MAAAS, adepto das deliciosas perversões da carne, resolveu investir no lado dark da força, criando de seu dormitório o site Hogtied.com depois de ler que um bombeiro ganhou 250 mil dólares em um curto prazo investindo em pornografia na internet.

O êxito das cordas

O site pornô de bondage foi um sucesso e logo Peter Acworth estava ganhando uma baita grana mantendo 26 sites por assinatura. Deu um salve pra universidade e passou a se dedicar exclusivamente pro +18. Trabalho que resultou na compra de um castelo por 14,6 milhões de dólares.

Kink

O castelo da Kink

Em 1976, a Guarda Nacional guardou suas armas na sacola e desocupou as dependências do Armony. Fortaleza militar histórica de 8 mil m² que ficou desativada até Peter Acworth arrematar o monumento em 2006, depois de migrar a empresa de Nova Iorque pra São Francisco em 1998. Uma reforminha básica e tudo virou um castelo imponente com cômodos requintados, masmorras a prova de som, uma sala dedicada ao exímio livro “A História de O” (1954) e dois barris de 200 litros de lubrificante à base d’água.

Kink

A estátua da mãe do fundador

O castelo tinha várias máquinas, engenhocas sexuais e obras sobre BDSM. Tanto que quando a Kink parou de gravar pornô no Armony, leiloou diversas peças. Entre as artes mais emblemáticas do local estava uma estátua esculpida pela própria mãe de Peter Acworth que teve uma amarração de shibari acrescentada posteriormente. 

Kink

Conservadores contra o pornô no castelo

Mas se você pensa que tudo foi flores, enemas e chibatas, está enganado!  A compra do castelo resultou em vários protestos na Califórnia. O Departamento de Patentes e Marcas Registradas dos EUA se recusou a conceder o registro prum site da empresa, o Fucking Machines, alegando obscenidade. Ah, vá! Até uma ONG vizinha, “La Casa de Las Madres”, anunciou sua mudança do bairro devido ao “escrutínio da depravação” que a Kink ali representava. Credo que delícia, eu adorei essa palavra “escrutínio”. Ela parece ofensiva.

Kink

Trabalhos comunitários

Enquanto os conservadores latiam, a Kink fez contrapartida social com doações e auxílio às organizações de caridade. Também abriu os sets pra visitação pública com objetivo de desmitificar o local, impulsionou uma série de avanços imobiliários no lugar, atraindo o clássico Four Barrel Coffee e a construção de prédios de luxo ao redor do castelo.

Kink

Trabalho são, seguro e consensual

O Kink faz questão de frisar sua atuação dentro da legalidade judicial graças ao profissionalismo, cumprimento de regras, direitos trabalhistas e o protocolo consensual. Como, por exemplo, a triagem física e psicológica através de entrevistas antes e depois das cenas com sex works e, claro, a PALAVRA DE SEGURANÇA tão essencial na prática fetichista da empresa.

Kink

A regra sagrada

PALAVRA DE SEGURANÇA é uma norma inviolável dentro do BDSM (bondage e disciplina, dominação e submissão, sadismo e masoquismo). O(A) dominador(a) da prática define uma palavra que encerra imediatamente a sessão quando proferida pelo(a) submisso(a), significando que esse(a) chegou ao seu limite emocional ou físico. Se essa regra sagrada for violada deixa de ser BDSM, virando agressão sexual e crime de estupro. Lembrando que um(a) dominador(a) deve preservar a saúde total do(a) subordinado(a) e a consensualidade da prática. 

O castelo fecha as portas pro pornô

Em 2014, depois desse patrimônio construído em 1914 servir pra mais de 8 mil filmes pornográficos, a Kink começou a migrar suas gravações pra Las Vegas, fugindo das novas leis repressoras do Estado da Califórnia. Mas se você é um(a) trouxa conservador(a) e está lendo isso, não adianta ficar piscando de felicidade seu rabo sujo. Porque a empresa fez isso por estratégia e mantém mais de 80 canais, 32 estúdios e 17 diretores fixos em pleno funcionamento, fazendo cada vez mais as honras de ser a melhor e maior produtora de pornô BDSM do mundo, mesmo tendo vendido o Armony por 65 milhões de dólares em 2018.

A última cena do castelo

A diretora e atriz pornô fodona Maitresse Madeline, com uma equipe técnica formada apenas por mulheres, fechou com chave de ouro, muito esperma e garrafas de champanhe as gravações da Kink no castelo, fazendo um gang bang de despedida. Hoje o espaço é sublocado pra shows e eventos.

Links

COMENTE JÁ

Mais posts pra você